Análise da obra Macunaíma

Macunaíma é um dos livros clássicos da literatura brasileira.

Macunaíma é uma obra fantástica que marcou a fase heroica do modernismo brasileiro. Saiba mais!

Macunaíma é um dos livros clássicos da literatura brasileira. A obra é bastante cobrada em vestibulares e é presença certa nas aulas de literatura do Ensino Médio.

Macunaíma foi escrito por Mario de Andrade e trata de uma lenda indígena do Brasil. O livro tem elementos épicos e folclóricos.

A narrativa de Macunaíma é fragmentada e explora a vida de um personagem: o chamado herói brasileiro – Macunaíma.

Macunaíma é uma obra fantástica, que desafia e intriga o leitor. O livro faz parte da primeira fase modernista do Brasil, a chamada fase heroica. A obra sofre influência das vanguardas europeias.

A narrativa de Macunaíma é muito próxima da oralidade e reforça a identidade do povo brasileiro. Macunaíma é apresentado como um heroi de caráter duvidoso, indolente e que se deixa guiar pelo prazer.

O livro é uma narrativa mítica, onde o tempo e o espaço variam muito. A obra tem 17 capítulos e um epílogo.

Macunaíma foi publicado em 1928, numa tiragem de oitocentos exemplares. O heroi sem caráter de Mário de Andrade fez muito sucesso na época e resultou em muitas discussões sobre a essência do povo brasileiro.

A narrativa tem um tom bem humorado e apresenta caracteríticas do dadaísmo, do futurismo, do expressionismo e do surrealismo. Macunaíma faz referência ao índio, à cultura brasileira e às consequências da colonização. O objetivo da obra é promover uma volta às origens por meio de uma lenda amazônica.

Veja Também

Aliteração

Ritmo

Literatura de Catequese

Versos

Concretismo

Análise da obra Macunaíma