Benjamin Constant

Benjamin Constant Botelho de Magalhães nasceu no dia 18 de outubro de 1833, em Niterói, Rio de Janeiro.

Benjamin Constant foi o criador do lema “Ordem e Progresso” da bandeira brasileira. Conheça a história desse político!

Benjamin Constant Botelho de Magalhães nasceu no dia 18 de outubro de 1833, em Niterói, Rio de Janeiro. Ele se tornou um importante militar e político brasileiro, e é lembrado até hoje por ter criado a expressão "Ordem e Progresso", estampada na bandeira do Brasil. Constant era filho do português Leopoldo Henrique Botelho de Magalhães, primeiro-tenente em Portugal, e de Bernardina Joaquina da Silva Guimarães.

Benjamin Constant seguia o ideal positivista do francês Augusto Comte. Ele teve um papel de destaque no processo da Proclamação da República. Por suas contribuições à causa, Benjamin recebeu o título de "Fundador da República Brasileira".

Durante a vida, Constant foi professor e doutor em matemática e ciências físicas. Em sua carreira militar, chegou ao cargo de General de Brigada.

Constant estudou matemática na Escola Militar e também cursou a Escola Central de química, mineralogia e geologia, onde tornou-se bacharel em ciências físicas e matemática. Em seguida, em 1858, ele se formou em engenharia militar.

Entre 1859 e 1876, Benjamin Constant atuou como examinador de matemática dos candidatos aos cursos superiores do Império.

Em 1887, ele fundou o Clube Militar, um centro de propaganda republicana que lutava pela queda da monarquia. Depois da Proclamação da República, Constant assumiu o cargo de Ministro da Guerra do Governo Provisório. Em 1890, ele se tornou General da Brigada, mas acabou afastado do cargo por apresentar ideologias divergentes as do então presidente da república, Deodoro da Fonseca. Constant também chegou a atuar na Pasta de Instrução Pública, Correios e Telégrafos.

Benjamin Constant Botelho de Magalhães morreu no dia 18 de janeiro de 1891, depois de contrair malária.

Veja Também

Aleijadinho

Gonçalves Dias

Vasco da Gama

Guy Fawkes

Wolfgang Amadeus Mozart

Fidel Castro