Click EstudanteHistóriaBombardeio de Salvador de 1912

Bombardeio de Salvador de 1912

Autor: Click Estudante

Lido: 1502 vezes

Bombardeio de Salvador de 1912
O Bombardeio de Salvador de 1912 foi um dos momentos graves da luta política existente entre as oligarquias da República Velha no Brasil.

Quando a República foi proclamada no Brasil, seguiram-se dois governos militares, dos marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, antes dos civis assumirem a presidência. Passados esses anos, estabeleceu-se no Brasil o poder de oligarquias políticas que dominou o governo. No início do século XX, o poderio político já estava, sobretudo, nas mãos dos produtores de café, principal produto brasileiro para exportação. Em 1910, ocorreria uma divisão do grupo conservador na Bahia em função das disputas políticas para a presidência da República. Mesmo com os baianos tendo um candidato, Ruy Barbosa, ainda havia uma fragmentação de interesses e parte dos conservadores baianos apoiava o candidato militar Hermes da Fonseca. O cenário era de completa desunião, sendo que mesmo entre os conservadores que apoiavam Hermes da Fonseca também havia divisão. Um desses grupos, e o que saiu vencedor, era liderado por Seabra. A vitória de seu grupo nas decisões políticas o tornou muito popular, o que lhe deu boas condições para disputar o governo do estado da Bahia.

O candidato ao governo da Bahia, Seabra, enfrentaria dificuldades para vencer as eleições mesmo com toda a popularidade. Isso porque o modelo eleitoral da época lhe faria vencer no voto popular, mas não lhe garantiria a vitória no poder legislativo, que também votava. Nas eleições estaduais de 1912, Seabra elaborou uma estratégia que consistia em adiar o máximo possível as eleições. Seabra contava com a intervenção do governo federal, que estava nas mãos de Hermes da Fonseca, pois este procurava intervir e manter nos governos estaduais seus aliados políticos. O atraso das eleições fez com que o governador baiano Araújo Pinho renunciasse ao cargo por extrapolar o tempo previsto de mandato. Na ocasião, seu sucessor imediato, Manuel Leôncio Galvão, também recusou o cargo alegando doença. Para desgosto de Seabra, a situação abriu caminho para Aurélio Rodrigues Viana tomar posse. Este era um inimigo declarado de Seabra, os dois eram os líderes dos grupos opositores na disputa política dos grupos oligárquicos que apoiaram Hermes da Fonseca à presidência.

Os opositores de Seabra articularam para que Viana assumisse o governo do estado. Viana alterou por decreto a capital da Bahia para Jequié, sua cidade natal, que, no entanto, era muito atrasada à época. A medida não foi só em função da origem de Viana, mas a transferência da capital para Jequié levava também o poder legislativo para a cidade e, assim, defendia-se da intervenção do governo federal. Naturalmente, os opositores contestaram a medida e acionaram a Justiça Federal para analisar o fato. Entretanto Viana ignorou a sentença, o que criou a situação para um conflito direto.

Com a representatividade política ainda em Salvador, tropas do exército tomaram a cidade para cumprir a decisão judicial e derrubar Viana. Este recebeu um ultimato sobre a situação, mas também ignorou os avisos. Desta forma, às 14 horas do dia 10 de janeiro de 1912 teve início o Bombardeio de Salvador. Os primeiros ataques vieram do Forte de São Pedro e do Forte de Barbalho destruindo o que era a sede do governo. Este primeiro ataque foi responsável pela perda de grande parte da história do Brasil, pois o incêndio provocado atingiu a Biblioteca Pública que era também sede do Arquivo Público da Bahia onde era guardada a documentação sobre a primeira capital da história do Brasil. Muitos documentos preciosos e raros foram perdidos para sempre. Para completar, o ataque se seguiu como uma guerra campal culminando com a tomada dos prédios públicos pelo exército e pela marinha. No dia seguinte, Viana renunciou ao cargo, porém retornaria no dia 22 de janeiro do mesmo ano. No dia de sua nova posse, o povo varreu a cidade em protestos e Viana fugiu declarando-se refugiado. Nova renúncia aconteceu no dia 27 de janeiro e, no dia seguinte, ocorreram as eleições que consagraram a vitória de Seabra. Este teria sido o principal articulador do Bombardeio a Salvador e seria seu beneficiário decidindo os rumos da Bahia pelos próximos anos.

Comentários

Sugestões de Artigos

Bombardeio de Salvador de 1912
Bombardeio de Salvador de 1912

O cenário era de completa desunião, sendo que mesm...

Preconceito racial
Preconceito racial

A sociologia estuda o comportamento humano desde o...

Tipos de gramática
Tipos de gramática

Existem 4 tipos de gramática distintos, e conhecê-...

Casamento Gay
Casamento Gay

Casamento gay é união que se refere a duas pessoas...

5 maiores erros para a avaliação de uma redação
5 maiores erros para a avaliação de uma

Descubra os 5 maiores erros para a avaliação de um...

Karl Marx e seu Pensamento Sociológico
Karl Marx e seu Pensamento Sociológico

Embora Karl Marx seja um filósofo do século XIX, a...

Dicas para planejar uma Dissertação
Dicas para planejar uma Dissertação

A dissertação é bastante pedida no vestibular, e p...

O fim da primeira guerra mundial
O fim da primeira guerra mundial

O fim da primeira guerra mundial tem relação com o...

Anomalias genéticas humanas
Anomalias genéticas humanas

Anomalias genéticas são doenças causadas em genes ...

Pangeia, o super continente
Pangeia, o super continente

Ao longo de milhões de anos o Pangeia foi se fragm...

Intimismo
Intimismo

Os trabalhos desses artistas apresentam um preserv...

Genocídio e Etnocídio
Genocídio e Etnocídio

As duas palavras estão relacionadas a uma limpeza ...

© 2016 - Click Estudante - Pesquisas e Trabalhos Escolares |