Colocação pronominal

Existem três formas de posicionar os pronomes oblíquos átonos da língua portuguesa.

Os pronomes oblíquos átonos da língua portuguesa podem se posicionar de três formas.

Chamamos de próclise quando o pronome está antes do verbo; mesóclise quando está no meio do verbo; ênclise quando está depois do verbo. Para determinar a posição pronominal são aplicadas as seguintes regras:

Próclise:

+ é usada com palavras ou expressões negativas como não, jamais, nada, ninguém e nunca. Exemplo:

Nada me incomoda.

+ é usada com conjunções subordinativas. São algumas: quando, se, porque, que e conforme.

Exemplo: Quando se fala de futebol, ele domina o assunto.

+ é usada com advérbios.

Exemplo: Aqui me dediquei ao trabalho.

+ é usada com pronomes relativos, demonstrativos e indefinidos.

Exemplo: O cara que me atropelou era meu amigo.

+ é usada em frases interrogativas:

Exemplo: Quando me farão uma proposta?

+ é usada em frases exclamativas ou que mostram desejo.

Exemplo:

Jesus o ama!

Macacos me mordam!

+ é usada com verbo no gerúndio antecedido da proposição em.

Exemplo: Em se tratando de natação, ele é o melhor.

+ Em formas verbais proparoxítonas.

Exemplo: Nós o comensurávamos.



Mesóclise:

+ É usada quando o verbo estiver no futuro do presente ou no futuro do pretérito.

Exemplos:

Chamar-me-ão para o jogo.

Chamar-me-iam para o jogo.

Quando houver uma palavra atrativa a próclise deve ser aplicada.



Ênclise:

+ é usada em verbos no infinitivo.

Exemplo: Não quero contratá-lo.

+ é usada em verbos no início das orações.

Exemplo: Contaram-me um segredo.

+ é usada com verbos no imperativo afirmativo:

Exemplo: Meninos, comportem-se.

Veja Também

Adjunto Adnominal

Pronomes de Tratamento

Fonética e Fonologia

Colocação pronominal

Conjunções subordinativas

Vocativo