Conjunções subordinativas

No caso das conjunções subordinativas, dizemos que essa relação é dependente.

As conjunções subordinativas estabelecem relação de dependência sintática entre duas orações.

Empregamos as conjunções para determinar a união entre orações ou termos de uma oração. A conjunção estabelece uma relação entre orações. No caso das conjunções subordinativas, dizemos que essa relação é dependente. Ou seja, uma oração depende da outra para ser entendida.

Assim, podemos definir conjunção subordinativa como sendo aquelas que ligam orações exercendo uma relação de dependência sintática.

Ex: João disse que não gosta de beterraba.

Nessa oração, o termo “QUE” é responsável por criar uma ligação entre a primeira ideia e a segunda ideia. As duas orações estão ligadas pela conjunção “QUE”.

A segunda oração, “não gosta de beterraba”, complementa o verbo “disse”. A conjunção “que” é o termo que estabelece a relação entre as duas orações. Nesse caso, chamamos “que” de conjunção integrante.

Existem vários tipos de conjunções subordinativas, como veremos abaixo:



Conjunções Subordinativas Integrantes – introduzem orações subordinadas substantivas e fazem uso dos termos que, se, como.

Exemplo: Falei que não sabia do paradeiro da criança.

Conjunções Subordinativas Causais – exprimem causa e fazem uso dos termos porque, como, uma vez que, já que.

Exemplo: Sou grata porque tenho um amigo verdadeiro.

Conjunções Subordinativas Concessivas – exprimem concessão e fazem uso dos termos embora, ainda que, mesmo que, apesar de que.

Exemplo: Apesar de ter estudado, foi mal na prova.

Conjunções Subordinativas Condicionais – exprimem condição ou hipótese e fazem uso dos termos se, desde que, contanto que, caso, se, etc.

Exemplo: Ele será contratado desde que demonstre capacitação para o cargo.

Conjunções Subordinativas Conformativas – exprimem conformidade e fazem uso dos termos conforme, segundo, como, consoante.

Exemplo: Conforme te falei na semana passada, o salário é de R$2000.

Conjunções Subordinativas Comparativas – exprimem comparação e fazem uso dos termos como, mais... do que, menos...do que, assim como.

Exemplo: A vida hoje está mais fácil do que há alguns anos atrás.

Conjunções Subordinativas Consecutivas – exprimem consequência e fazem uso dos termos de forma que, de sorte que, que.

Exemplo: Chorou tanto que adormeceu.

Conjunções Subordinativas Finais – exprimem finalidade e fazem uso dos termos a fim de que, que, porque, para que.

Exemplo: Saímos do trabalho mais cedo para que pudéssemos ver o jogo da Copa do Mundo.

Conjunções Subordinativas Proporcionais - exprimem proporção e fazem uso dos termos à medida que, à proporção que, ao passo que.

Exemplo: À medida que os dias passam, fico com mais saudades.

Conjunções Subordinativas Temporais – indicam tempo e fazem uso dos termos quando, depois que, desde que, logo que, assim que.

Exemplo: Logo que embarquei no ônibus, meu pai me telefonou.

Veja Também

Sujeito

Adjunto Adnominal

Palíndromos

Vocativo

O que é oração?

Paráfrase