Consciência

Na sociologia, temos dois tipos de consciência: a consciência individual, que é inerente ao cidadão e à forma de comportamento e visão de mundo.

Na sociologia temos interpretações sobre a consciência individual e coletiva.

Etimologicamente a palavra consciência tem origem no latim “conscientia”, que significa conhecimento partilhado. Na sociologia, temos dois tipos de consciência: a consciência individual, que é inerente ao cidadão e à forma de comportamento e visão de mundo, baseados em padrões de conduta; e também temos a consciência coletiva, que é o conjunto das crenças e sentimentos comuns aos membros de uma mesma sociedade.

A consciência coletiva define o que é imoral, reprovável e criminoso dentro de uma sociedade. O sentido de consciência está relacionado ao caráter e ao discernimento do que é certo ou errado nos padrões de comportamento.

A consciência tem facetas psicológicas, epistemológicas e metafísicas. No aspecto psicológico, a consciência significa percepção de si mesmo. No sentido epistemológico, a consciência é sujeito do conhecimento. E na interpretação metafísica, a consciência é o próprio “eu” interior de cada ser humano.

A consciência está na mente e apresenta subjetividade, autoconsciência e percepção. Para os filósofos consciência é: o estado de estar ciente, processamento das experiências de vida e qualidade psíquica e espiritual.

Veja Também

Desemprego

Plágio escolar

O que é TDAH?

Sociologia no Brasil

Apartheid

Bullying