Liberdade de imprensa na Argentina

A Argentina vive uma polêmica entre o governo e o maior grupo de comunicação do país, o Clarín.

O governo argentino tem trabalhado para limitar a liberdade de expressão no país. Entenda o caso!

A Argentina vive uma polêmica entre o governo e o maior grupo de comunicação do país, o Clarín. O país enfrenta uma possível intervenção estatal no grupo, fato que pode reduzir e prejudicar ainda mais a liberdade de imprensa dos argentinos.

O Clarín é o maior crítico do governo de Cristina Kirchner. Essa realidade levou a presidente argentina a atacar o grupo de comunicação.

As restrições à liberdade de expressão são frequentes no país. Os primeiros conflitos entre o governo e os meios de comunicação surgiram em 2008. Desde então, a presidente Cristina Kirchner passou a limitar a cobertura jornalística no país.

Uma comissão da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) foi enviada à Argentina para avaliar as condições de trabalho dos jornalistas. O relatório do grupo mostrou uma "deterioração da liberdade de imprensa e de expressão" no país.

Segundo a SIP, o governo tem usado seu poder estatal para abusar da publicidade oficial, prejudicar o jornalismo e impor restrições à imprensa. Além disso, casos de violência contra jornalistas também foram registrados no país.

A Argentina aprovou a chamada Lei de Meios Audiovisuais, que considera jornalistas e meios de comunicação privados como inimigos do projeto de poder kirchnerista. Essa restrição à atuação da imprensa tem chamado a atenção do mundo todo e muitos países já se mostraram contrários às ações do governo argentino.

Veja Também


Médicos Cubanos no Brasil

Quem era Bin Laden?

Direitos dos trabalhadores domésticos

União Gay

Olimpíadas no Brasil

Coreia do Norte vs Coreia do Sul