Relação das Redes Sociais nos Protestos

Twitter e Facebook estiveram profundamente relacionados com os protestos, tanto em sua organização, quanto em sua divulgação.

As redes sociais foram fundamentais para o sucesso dos protestos populares que aconteceram no Brasil. Saiba mais!

Os protestos que tomaram conta das ruas do Brasil em junho de 2013 como resposta ao aumento das passagens de ônibus e metrôs pelo país tiveram um importante aliado no engajamento de manifestantes: as redes sociais.

O papel das mídias sociais e da internet foi fundamental para o sucesso das manifestações. Os protestos contra o aumento da tarifa foram articulados pelas redes sociais, com destaque para o Facebook.

Na rede, internautas abriram eventos públicos que chamavam as pessoas a se unirem ao movimento em todos os cantos do Brasil. Em alguns casos, esses eventos do Facebook chegaram a reunir mais de 1 milhão de pessoas.

Twitter e Facebook estiveram profundamente relacionados com os protestos, tanto em sua organização, quanto em sua divulgação. As fotos e vídeos dos protestos e da violência da repressão policial dominaram os assuntos mais comentados e postados nas redes e ajudaram o movimento a ganhar cada vez mais o apoio popular.

Durante os protestos, temas como política pública, direitos e serviços públicos de qualidade estiveram em destaque na internet. As timelines das redes sociais passaram a mostrar mensagens de revolta contra a corrupção e contra as injustiças sociais que ainda são soberanas no Brasil.

As redes sociais apareceram como uma fonte alternativa de informação. Enquanto os jornais mostravam notícias manipuladas, as plataformas online apontavam a visão popular dos acontecimentos.

As mídias sociais e as mídias tradicionais passaram a divergir sobre muitos pontos dos protestos, fato que abriu caminho para uma nova forma de comunicação. A credibilidade das redes sociais foi estabelecida graças aos vídeos, fotos e depoimentos postados quase em tempo real.

O movimento que começou na internet e que depois foi para as ruas é uma boa demonstração de ciberativismo, o que coloca as redes sociais como uma alternativa para os meios tradicionais de comunicação de massa. Além disso, o alcance social dessas redes deixou claro que elas têm grande poder de articulação.

Veja Também

BRICs e a economia mundial

Quem era Bin Laden?

Qual carreira seguir depois da escola?

Como reorganizar a rotina para voltar às aulas

Benefícios da Copa do Mundo no Brasil

O papel do Brasil no mundo