Reprodução Assexuada

Vale lembrar que esse tipo de reprodução é amplamente utilizado na agricultura, a fim de manter a capacidade produtiva das culturas.

A reprodução assexuada é o processo que cria indivíduos geneticamente idênticos, os chamados clones. Nesse tipo de reprodução, os indivíduos só apresentarão material genético diferente se sofrerem mutações.

A reprodução assexuada, como o próprio nome já diz, não depende da fecundação de um óvulo por um espermatozóide para a geração de um novo indivíduo da espécie, ou seja, a reprodução acontece sem a intervenção de gametas.

Esse tipo de reprodução pode estar ligada à mitose nos seres eucariontes, unicelulares ou multioscelulares.

No caso dos unicelulares, o tipo de reprodução assexuada é denominada bipartição. Nos organismos multicelulares, como as plantas, a reprodução assexuada pode ocorrer por propagação vegetativa.

Vale lembrar que esse tipo de reprodução é amplamente utilizado na agricultura, a fim de manter a capacidade produtiva das culturas.

Nos animais, a reprodução assexuada mais observada é o brotamento ou gemiparidade.

Existem ainda alguns animais que são hermafroditas, possuindo óvulos e espermatozóides. Nesses seres hermafroditas pode ocorrer a autofecundação.

Veja abaixo os principais tipos de reprodução assexuada:

Fragmentação – onde cada fragmento desenvolve-se originando um novo ser vivo. Ex: algas, estrela-do-mar;

Partenogénese - processo pelo qual um óvulo se desenvolve originando um novo organismo, sem ter havido fecundação. Ex: abelha, formiga;

Esporulação - formação de células reprodutoras que, ao germinarem, originam novos indivíduos. Ex: fungos;

Brotamento ou gemiparidade - Neste tipo de reprodução um broto se desenvolve no indivíduo e após um tempo se desprende, passando a ter uma vida independente. Ex: hidras e esponjas.

Veja Também


Água

Estrabismo

Membrana Plasmática

História da Vacina

Reparo tecidual

Efeito Placebo